Buscar no SF

Carregando...

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Receita da Semana: Tartelette de morango



A Receita da Semana é maravilhosa. Sou louca por tartelettes: limão, maracujá, mousse de chocolate, mas, sem dúvidas, o meu sabor favorito é o de morango com castanhas. Hoje ensinaremos vocês a receita de tartelette de morango. O preparo é um pouquinho trabalhoso, pois tem aquela parte de amassar a massa, esticar e coisa e tal, mas garanto que o resultado vale a pena.

As tartelettes são ótimas como sobremesa em um almoço/jantar em que recebemos convidados, pois podem ser feitas até um dia antes e guardadas na geladeira. Além de gostosas, chamam atenção por sua beleza. Vocês e seus amigos irão gostar! Vamos aprender?

Ingredientes (8 porções):
Para a massa:
- 3 1/2 xícaras de farinha de trigo
- 1 1/2 xícaras de açúcar
- 1 xícara de manteiga com sal
- 2 ovos

Para o creme de confeiteiro: 
- 1 litro de leite
- 1 colhere de sopa de manteiga
- 6 gemas
- 1 xícara de amido de milho
- 1 e 1/3 de xícara de açúcar
-  2 colheres de chá de essência de baunilha

Para a cobertura:
- 20 morangos médios
- 1 pacote de gelatina incolor (12g)
- 5 colheres de castanha de caju picada 

Modo de preparo:
Massa:
1. Antes de tudo ligue o forno a 180º.
2. Em uma tigela, misture os ingredientes secos. Depois de bem misturados, coloque a manteiga e os ovos. Amasse com as mãos até ficar com consistência de massa.
3. Estique a massa sobre as forminhas de tartelette, deixando a borda mais espessa que o fundo (pois levará creme por cima).
4. Leve ao forno até ficarem levemente douradas.

Creme:
1. Despeje o leite, metade do açúcar e a essência de baunilha em uma panela em fogo médio. Mexa bem até ferver.
2. Misture em um bowl as gemas e o restante do açúcar com um fouet. Acrescente à mistura, amido de milho e mexa bem para não empelotar. Com uma concha, coloque aos poucos o leite fervido e misture bem para não correr o risco de cozinhar as gemas. Repita a ação até acabar o leite da panela.
3. Volte o líquido à panela e deixe cozinhar em fogo baixo, sempre mexendo. Quando engrossar, coloque 1 colher de manteiga e desligue. Deixe esfriar por 5 minutos.

Cobertura:
1. Recheie a massa com o creme de confeiteiro. Corte os morangos já lavados e sem o cabinho ao meio e coloque em cada tartelette 5 fatias (foto). 
2. Despeje a gelatina incolor em um potinho com 5 colheres de água mineral. Deixe hidratar por 5 minutos, mexa e leve ao microondas por 15 segundos. Regue a gelatina sobre os morangos e finalize cobrindo a fruta com pedacinhos de castanha de caju.




Bom apetite!

terça-feira, 22 de abril de 2014

El Guatón: Restaurante chileno em Pinheiros - São Paulo

Depois de dias que pareciam sonho pela Europa, cá estamos nós, de volta. Adianto que tem muita novidade e coisa boa vindo por aí. Aguardem!

Hoje conto sobre um bar e restaurante chileno em São Paulo. Inaugurado em 1997 em Pinheiros, o El Guatón abriu suas portas timidamente vendendo petiscos, como frango à passarinho e batata frita, como qualquer outro barzinho. Porém, suas empanadas foram conquistando o estômago da cliente e vizinhança, o que fez com que atualmente o estabelecimento ampliasse e hoje seja um restaurante com opções da culinária chilena.

Em 1977, o chileno Senhor. Guatón chegou a São Paulo seguido de sua esposa Dona Elba e filhos. Dona Elba que mandava muito bem nas panelas, recebia amigos e convidados em casa com seus quitutes aprendido no país de origem. Empanadas, crudos, ceviches, pasteletes de choclo, humitas, torta milhojas faziam as pessoas não esquecerem de suas habilidosas mãos. Foi através do incentivo desse pessoal que surgiu a ideia de montar um restaurante que agora você pode conhecer  em Pinheiros e na agitada Vida Madalena, em São Paulo.

O local é simples, decorado com quadrinhos, mesas e cadeiras de madeira, com predominância na cor vermelho. Minha sugestão é começarem devagar, com um Pisco Sour (R$18). O que é Pisco Sour? Na verdade, o Pisco é uma bebida peruana, mas também totalmente difundida na gastronomia chilena. É uma bebida que lembra a caipirinha brasileira, pois mistura acidez e doçura em um drink só, o que o torna fácil de beber por não ser nada enjoativo. Não é uma bebida fácil de ser encontrada no Brasil, mas acredito que devido ao receio que que seus ingredientes podem causar (clara de ovo + suco de limão + açúcar + angostura [lembra um pouco o gosto de xarope) + pisco [produzido através da destilação do vinho])e não pelo seu sabor.





Saúde!

Se estiver com bastante fome ou queria apenas fazer um lanche, vá de empanada. Como em minha mesa já tinham pedido empanadas nos sabores carne e frango, cometi o erro de escolher uma empanada de camarão (R$8,50).




Não peça de jeito nenhum a empanada de camarão, ainda mais se você mora em uma ilha e está acostumado a comer frutos do mar graúdos e saborosos. A massa estava impecável, bem crocante, mas o recheio deixou a desejar. Só no final do salgado encontrei um ou outros camarões miúdos nadando no catupiry. Sorte a minha que provei a empanada de carne e soube que o problema mesmo foi a minha escolha. Escolha a de carne.

Olhos focados na parte "Pratos Típicos" do cardápio. Aqui você pode se confundir, pois alguns pratos não pareciam chilenos ao nosso ver, pois são até comuns de serem encontrados em restaurantes brasileiros. Tudo o que eu queria era me deliciar com um ceviche com peixe bem maturado no limão, mas a ideia era dividir pratos a cada duas pessoas, então tínhamos que encontrar um prato democrático, até porque a refeição por lá é farta, podendo alimentar de duas a três pessoas.

O primeiro pedido a ser retirado foi a Picanha El Guatón: picanha grelhada em tiras, com batatas, cebola e ovos fritos (R$55). Um prato generoso, no melhor estilo pedreirão, daqueles que fazem a mesa do lado crescer os olhos. Picanha é um corte bem brasileiro, né? Na hora achei que não tinha nada a ver, mas, descobri que é comum encontrarmos refeições assim, com a carne por baixo, coberta com batata frita e ovo de gema mole por cima para escorrer pelas batatinhas. Quiçá uma arrumação de bife à cavalo com upgrade de batatas. É uma delícia!

Infelizmente o ceviche e o pastel de choclo (torta de creme de milho verde, carne, peito de frango, azeitonas e ovos) que pareciam excelentes ficarão para a próxima, pois o outro prato à mesa foi o Salmón a la plancha grelhado com molho de alcaparras, camarão e champignon, acompanhado de arroz à grega e batatas sauté (R$90). Sendo sincera, um novo nome para o à belle munière.




Tudo muito bom, tudo muito bem. Indico o El Guatón, mas acharia bem mais legal se fosse para provar pratos mais diferentão, tá?


Ambiente: ♥♥♥
Atendimento: ♥♥♥♥
Preço: $$$
Sabor: ♥♥♥


El Guatón
Endereço: Rua Mourato Coelho, 861 - Vila Madalena. São Paulo/SP.
Telefone: (11) 3085-9466
Horário de funcionamento: Segunda a sábado das 12h às 24h. Domingo das 12h às 17h.
Aceita cartão: Sim
Estacionamento: Não